quinta-feira, 2 de outubro de 2014

MAL-ENTENDIDO

A segunda estrofe de cinco versos (quintilha), com o título «2ª parte - o passado», da autoria do poeta Jerónimo Major, e publicada no Altejo no dia 28 de Setembro de 2014, deu origem a um mal-entendido linguístico que de pronto ficou resolvido. Quem quiser saber os contornos pode seguir a publicação no Altejo por aqui- «ENVIADO COMO COMENTÁRIO, MAS DIGNO DE 1ª PÁGINA», e ler as incidências que deram lugar à troca de palavras entre dois amigos poetas (Jerónimo Major e Poetavadio), que por circunstâncias da vida até foram vizinhos durante 14 anos na bonita vila de Terena. 

Antoine de Saint-Exupéry
 Escritor e Ilustrador Francês

2ª parte – o passado

Poeta popular me confesso.
Mas a Câmara, subsidiou,
Poetas populares que editou
E eu não tive lá acesso…
Dizem que peco por excesso.

Jerónimo Major

***

SOBRE O PASSADO

"Dizem que peco por excesso"...
Cito o poeta indignado;
Quem diz deve estar drogado,
Ou não entende nada do processo.
Excesso? Defeito?... isto peço:
Alguém que perceba do riscado, 
De preferência júri letrado
Que não leia as letras do avesso...
Muito ou pouco, eu me interesso
Quando está bem elaborado.

Poetavadio

***

Para um poeta amigo

Há um “Poetavadio”
Que me dedica um comentário.
Hostiliza-me… Mas ao contrário,
Eu quero dar-lhe um elogio!
A sua obra aprecio…
É um dever que me cabe!
Se não tem mais quem o gabe
É porque o mundo anda louco...
Quer seja “Muito ou pouco.”
Cada um mostra o que sabe!...

Como eu o compreendo…
Chama-me de indignado,
E que devo estar drogado
E de processos não entendo…
É consigo que eu aprendo!!
Está-se já mesmo a ver…
Só tenho que lhe agradecer,
Muito me esclareceu.
Ainda bem que apareceu:
Volte sempre que lhe apetecer!

Jerónimo Major

***

Creio que o poeta Jerónimo Major não entendeu

"Dizem"...

Por conseguinte, "Quem diz" são outros.

Faço-me entender?

Poetavadio


AINDA SOBRE O PASSADO

Não me solicitem poesias…
Se o fizerem, mando-os à merda,
Seria pra todos grande perda
Perder tempo com heresias;
São profetas e mais profecias…
Vendedores de banha-da-cobra,
Tudo parecem saber de sobra
Mas isso a mim não me alegra…
Esquecem que a primeira regra
É conhecer por dentro a obra!

Poetavadio

Boa noite amigo "Poetanarquista"

Vamos lá analisar
O conteúdo do verso,
Que me pareceu adverso
O qual não quis ignorar.
E digo para começar:
A frase entre aspas é minha.
Ciente que o verso continha
Uma crítica ao que eu disse,
Respondi e foi tolice…
Fiz mesmo o que não convinha.

Jerónimo Major

Enganei-me. Eu sei que não sou perfeito.
Entendi que estava a fazer uma crítica um bocado contundente ao que eu disse, 
porque afinal a frase que usa entre aspas é minha. Ninguém me disse tal frase. 
O que me disseram e está entre aspas e até a negrito foi: 
“Não entraram porque estão / Muito bem elaboradas”. 
A frase (Dizem que peco por excesso) é uma dedução minha daquilo que me disseram.
Estamos entendidos. As minhas desculpas. 
Também era um bocado estranho os poetas a agredirem-se. 
Obrigado e um abraço. 

Jerónimo Major

***

NO PRESENTE

Poeta Jerónimo Major:
Não passou de mal entendido
Que prontamente foi esclarecido…
De todos os males, fosse o pior.
Agredir? Já agora era melhor!...
O respeitinho é muito lindo
E eu, de tal nunca prescindo
Entre poetas que se estimam…
As palavras em verso rimam
E pró amigo estão sorrindo!!

Poetavadio

3 comentários:

Anónimo disse...

Sem dúvida, dois poetas merecedores do nome que têm: "POETAS".

Tenho dito!

Anónimo disse...


Não podia acreditar que este "Mal Entendido" não tivesse outro desfecho que não este.

A HUMILDADE E BOA EDUCAÇÃO PREVALECERAM !!!

Faço minhas as palavras do 1.º Comentador:

"Sem dúvida, dois poetas merecedores do nome que têm:
"POETAS".

Uma Alandroalense APRECIADORA DA VOSSA MAGNÍFICA POESIA (L...)

Anónimo disse...

Bonito, bonito de verdade!