sábado, 22 de fevereiro de 2014

SONETO - RETRATO DE UM AMIGO

Espero que o João desculpe alguma ousadia ou falha...
Poet'anarquista
João Regatão
Contista Português

RETRATO DE UM AMIGO

Porte um pouco acima do mediano,
Muito calvo desde que o conheço…
Bigode, e mosca na zona do queixo,
Olhar apreciavelmente mundano.

Afável, bom falante… e de noitadas,
Resistente na sua condição humana…
Contador de histórias bem contadas,
Onde se percebe a saudade africana!

Fala p´los cotovelos feito um perdido
Nas mais difíceis condições acústicas,
Com uma potência de ferir o ouvido;

Mas não se fica por aqui este figurão…
Seu jeito e pose lembram o conhecido
António Maria Silva: “ah grande leão!”

Matias José

5 comentários:

Anónimo disse...

Soneto "retrato de um amigo"..... irrepreensível!!!!!

Anónimo disse...

5 estrelas para o soneto!
Para o retratado, aqui seguem uns planetas, ou até mesmo uns cometas.
É que estes são mais ao seu estilo.
Para o Matias José, um abraço e parabéns pelo poema. Para o JR, outro abraço.

Anónimo disse...

Perfeito o retrato do poeta!

Um abraço

Anónimo disse...

Ganda malha, POETA! Esse gajo da gravata tá bem retratado. Tenho dito!

Abraço a ambos....

Anónimo disse...



Mais uma vez MATIAS JOSÉ está de Parabéns !!!

Havia uma Vélhinha muito simpática que morava no cimo da Praça, de seu nome Sofia, que era uma grande Admiradora do João e que sempre me falou dele com grande Apreço e Carinho. Relatou-me todas as atenções que ele sempre teve para com Ela, inclusivamente da prontidão e rapidez com que lhe solucionou alguns problemas na sua residência.

ESTOU MUITO AGRADECIDA AO JOÃO POR TODAS AS ATENÇÕES QUE TEVE PARA COM A MINHA TIA !

BEM HAJA !

Uma Alandroalense (L...)