domingo, 23 de setembro de 2012

POEMA DE MATIAS JOSÉ

Alma Gémea
Patrícia Moura/ 2005

 ALMA GÉMEA

Alma gémea, de mim nunca tu partiste…
Em sonhos, ainda guardo a terra amada,
No sentir e na esperança tão desejada...
Toda a beleza das coisas me ensinaste!

E eu, vendo o belo, de ti me embelezei
Criatura que Deus fez com semelhança...
E tu, sentindo o meu desejo de criança,
Porque em ti tudo era como eu sonhei!

Alma gémea minha, que boa tua ventura
Nos dias claros e noites de lua quase cheia…
Esse momento único em nós inda perdura;

Em sonhos, alma gémea por aqui vagueia...
Quão grande esse terno amor da criatura,
Resistindo como o sangue dentro da veia!!

Matias José
  

2 comentários:

Anónimo disse...


LINDÍSSIMO POEMA, EM TOTAL SINTONIA COM A MARAVILHOSA PINTURA !

Obrigada.

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Só acrescentar...

E a alma do poeta!!!

Joana