quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

1º DEZEMBRO DE 1640

Recordando a História...
Restauração da Independência
1º Dezembro de 1640
BREVE RESUMO

A morte de D. Sebastião, em Alcácer Quibir, sem deixar descendência e outros motivos de natureza vária que não cabem neste pequeno resumo, concorreram para a perda da Independência de Portugal. Sem um sucessor directo, a coroa passou para Filipe II de Espanha.

Filipe II, aquando da tomada de posse nas cortes de Leiria, em 1580, prometeu zelar pelos interesses do País, respeitando as leis, os usos e os costumes nacionais. Com o passar do tempo, essas promessas foram sendo desrespeitadas, os cidadãos nacionais foram perdendo privilégios e passaram a uma situação de subalternidade em relação a Espanha.

Esta situação leva a que se organize um movimento conspirador para a recuperação da independência, onde estão presentes elementos do clero e da nobreza.

A 1 de Dezembro de 1640, um grupo de 40 fidalgos introduz-se no Paço da Ribeira, onde reside a Duquesa de Mântua, representante da coroa espanhola, mata o seu secretário Miguel de Vasconcelos e vem à janela proclamar D. João, Duque de Bragança, rei de Portugal.

Termina, assim, 60 anos de domínio espanhol sobre Portugal. A revolução de Lisboa foi recebida com júbilo em todo o País. Restava, agora, defender as fronteiras de Portugal de uma provável retaliação espanhola. Para o efeito, foram mandados alistar todos os homens dos 16 aos 60 anos e fundidas novas peças de artilharia.
Fonte: O Leme

3 comentários:

Rogério Pereira disse...

E agora?

Quantos serão necessários para poder voltar a restaurar Portugal?

Camões disse...

Muitos, quantos não sei...

Não foram precisos assim tantos para destruir, mas certamente serão mais para restaurar.

Anónimo disse...

É escolher a barricada. É estar num lado ou noutro. Agora, deixou de haver meio termo.