quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

PINTURA - MALANGATANA

O extraordinário pintor moçambicano Malangatana Valente Nguenha faleceu esta madrugada, aos 74 anos, no Hospital Pedro Hispano em Matosinhos, vítima de doença prolongada.

Nasceu em Matalana, distrito de Marracuene - Moçambique, a 6 de Junho de 1936 e foi um destacado pintor moçambicano conhecido em todo o mundo.

Em 1997 recebeu a nomeação da Unesco de "Artista pela Paz".

Poet'anarquista presta-lhe homenagem!
Poet'anarquista
Malangatana
Pintor Moçambicano
BREVE HISTORIAL

Malangatana nasceu em 1936 em Matalana, sul de Moçambique. Os seus primeiros anos de vida foram passados em Escolas de Missões e ajudando a sua mãe no trabalho no campo.

Com doze anos, Malangatana muda-se para Maputo (então Lourenço Marques) para procurar trabalho e em 1953 começa a trabalhar no Clube de Ténis como 'apanha-bolas'. Este trabalho permitiu-lhe continuar a estudar, frequentando as aulas à noite. Foi nesta altura que o seu talento começou a ser notado. Augusto Cabral, membro do Clube de Ténis, forneceu-lhe os materiais e a ajudou-o a vender o seu trabalho. Em 1958 Malangatana frequenta o Núcleo de Arte, com o apoio do pintor Zé Júlio. No ano seguinte, Malangatana tem o seu trabalho exposto publicamente pela primeira vez numa exposição colectiva e dois anos mais tarde,realiza a sua primeira individual, com 25 anos. Em 1963 a sua poesia é publicada na revista 'Black Orpheus' e na antologia 'Modern Poetry from Africa". No ano seguinte, Valente Malangatana é preso pela polícia secreta (PIDE) e passa 18 meses na cadeia. Em 1971 recebe uma bolsa da Fundação Gulbenkian e estuda gravura e cerâmica. Desde 1981 trabalha exclusivamente como artista.

Malangatana foi agraciado com a medalha Nachingwea pela sua contribuição para a cultura Moçambicana e nomeado Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique. Expôs em Angola, Portugal, Índia, Nigéria, Chile e Zimbabué entre outros, e o seu trabalho está representado em colecções por todo o mundo. Trabalhou em várias encomendas de arte pública incluindo murais para a Frelimo e para a UNESCO. Malangatana está também activo no estabelecimento de várias instituições incluíndo o Museu Nacional de Arte e um centro para jovens artistas em Maputo. Foi também um dos fundadoes do Movimento para a Paz.

O trabalho de Malangatana projecta uma visão ousada da vida onde há uma comunhão entre homens, animais e plantas. Baseia-se na sua 'herança' mas simultaneamente abraçando símbolos de modernidade e progresso, síntese entre arte e política. O reconhecimento do seu estatuto está presente na declaração proferida pelo Director-Geral da UNESCO, Federico Mayor ao entregar-lhe a distinção. Mayor nota que Malangatana é 'muito mais do que um artista, é alguém que demonstra que existe uma linguagem universal, a linguagem da Arte, que permite comunicar uma mensagem de Paz.'
Fonte: Contemporary Africa Database

Malangatana - Cartões de Boas Festas
 "Coração Canta Loucamente" - "Quem Vém De Lá" - "Recebam A Nossa Ternura"

Malangatana - Centro de Estudos Africanos
"Mural 1" - "Mural 2" - "Mural 3"

Malangatana - Centro de Estudos Africanos
"Mural"

Malangatana
"Amor Verde"

Malangatana
"Juízo Final"

Malangatana
"Tentativas Vidrálicas"

Malangatana
"Sem Título"

Malangatana
"Yaka Constróis"

Malangatana
"A Noiva"

Malangatana
"Sem Título"

Malangatana
"Nu Com Flores"

PINTURA DE MOÇAMBIQUE

MALANGATANA VALENTE NGUENHA

3 comentários:

Ana Paula Fitas disse...

Kabé,
A expressão obtida pela cor é, em Malangatana, por si só, uma verdadeira obra de arte!
Bjs

Camões disse...

A cor dos olhos d'alma africana sobre a tela... sensacional!

Que Deus o guarde

Bjs!

Anónimo disse...

PINTURA LINDÍSSIMA!!!

BELÍSSIMA HOMENAGEM!!!

Muito obrigada.

Uma Alandroalense (L...)