quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

POESIA

A lenda de como se formou o rio Mondego que corre na cidade de Coimbra.

Era uma vez uma princesa moura que vivia na Serra da Estrela.
Um dia, passou por ali um cavaleiro Francês e viu a linda moura.
Diego era o seu nome, casou com ela e foram felizes.
Um dia porém, o rei do seu país mandou-o chamar para combater os inimigos que estavam a atacar o seu país. Diego abandonou o castelo da Serra da Estrela, cavalgando, cavalgando...
Sozinha, a princesa chorava e chamava:
- Mon Diego! "..."Mon Diego!"..."
E tanto chorou a chamar pelo seu cavaleiro, que as lágrimas formaram um rio a deslizar pela serra enquanto o eco da sua voz se espalhava pelo ar:
- Mon Diegooo!"..." Mon Diegooo!"..."
Com o tempo, as palavras da princesa perderam-se no vento, mas ao passar em Coimbra, no Choupal, as águas do rio gemem imitando as lágrimas da princesa: Mondego! Glu...Glu...Glu...
Fonte: Dossier Temático 

Mondego
O Rio que Corre

Tudo começou assim...

SAUDADE


A  saudade  dói  lá  no  fundo!
Uma  dor  constante...  Sentida,
Sem  se  saber  controlar.
Não  há  outra  no  mundo
Que  deixe  a  alma  perdida,
De  tanto  querer  amar!

Assim  uma  donzela  especial
Por  um  jovem  se  encantou...
Nobre  cavaleiro  D. Diego.
Quando  à  terra  natal
Ao  seu  castelo  regressou,
Nunca  mais  teve  sossego!

Da  sua  janela  chorava
Pelo  seu  querido  amigo...
Chorando  esse  grande  amor!
As  lágrimas  que  derramava
Formaram  o  rio  Mondego,
Mas  não  levaram  a  dor!

E  assim  nasceu  a  lenda
Da  história  desse  rio
Que  corre  em  Coimbra.
Na  sua  água  profunda,
O  mesmo  olhar  vazio...
A  ninguém  mais  lembra!

Matias José

2 comentários:

Anónimo disse...

LINDÍSSIMO POETA!!! Parabéns!

"Essa Palavra SAUDADE, dói no peito
devagar..."

Ai Saudade tão sentida..., desmedida..., dolorida!...

Coimbra com tanto Encanto...,deve
Sentir-se Encantada!!!...

Muito Obrigada Matias José.

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Lindo... Lindo... Lindo, mil vezes lindo essa lenda contada em poesia!
Todas as *****************estrelas!!!

Maria