domingo, 5 de dezembro de 2010

JOSÉ CARRERAS

Mais um aniversariante de peso no Poet'anarquista, este felizmente ainda entre os vivos. Trata-se do grande tenor José Carreras, nascido em Barcelona e que cumpre hoje o seu sexagésimo quarto aniversário. A sua fama atingiu o apogeu quando actuou conjuntamente com os tenores Plácido Domingo e Luciano Pavarotti, em concertos que começaram em 1990 e se prolongaram até 2003. Aqui se recorda...
Poet'anarquista


José Carreras
Tenor Espanhol

BIOGRAFIA

José Carreras
5/12/1946, Barcelona, Espanha

"Uma voz doce, clara e quente de tenor lírico e uma elegante presença no palco." Assim a "Enciclopédia de Ópera do 'Metropolitan Opera House'" se refere ao cantor catalão José Carreras. Ao lado de Placido Domingos e Luciano Pavarotti, Carreras arrebatou audiências do mundo inteiro no show "Os Três Tenores", em 1990, em Roma, trazendo novas platéias para a música erudita.

A música tornou-se parte da vida de José Carreras desde muito cedo. Cantou no navio a vapor em que retornava para a Espanha, voltando da Argentina, para onde a sua família imigrara durante um curto período. Aos oito anos, fez sua primeira audiência pública, cantando "La Donna é mobile", da ópera "Rigoleto", na Radio Nacional Espanhola. Incentivado pela cantora Montserrat Caballé, estreou na ópera "Lucrezia Borgia", de Donizetti, em 1970, em Barcelona, interpretando o papel de Genaro.

No ano seguinte, ganhou o prémio Verdi, na cidade italiana de Parma, onde participou das óperas "Un Ballo in Maschera" e "I Lombardi". Neste mesmo ano, casou-se com Mercedes Perez, com quem teve dois filhos, Alberto e Julia. Em 1972, estreou na ópera de Nova Iorque, onde cantou durante três anos. Apresentou-se também na Ópera de São Francisco e no Covent Garden, em Londres.

Em 1974, estreou como o personagem Mario Cavaradossi, da ópera "Tosca", na "Metropolitan Opera" de Nova York. Pelas suas habilidades dramáticas e talentos musicais, José Carreras tornou-se um dos maiores cantores líricos do mundo, tendo se apresentado nas maiores casas de ópera da Europa e dos Estados Unidos.

Em 1987, no auge da do sucesso, Carreras sofreu um duro golpe. O diagnóstico de uma leucemia levou-o a procurar tratamentos em Barcelona e em Seattle, nos Estados Unidos. Depois de restabelecido, o cantor não só reassumiu a sua carreira, como criou a Fundação Internacional José Carreras, destinada a realizar pesquisas e ajudar no tratamento da leucemia. Um dos propósitos iniciais do projeto "Os Três Tenores" foi justamente angariar fundos para esta organização e receber o tenor de volta à cena artística.

Aos poucos, Carreras voltou a cantar, tanto nos palcos das casas de ópera, quanto nos estúdios de gravação. Com o regente Herbert Von Karajan estabeleceu uma fértil parceria, que resultou em inúmeras gravações. José Carreras gravou mais de 150 discos. O seu extenso reportório inclui desde trechos de zarzuelas, árias operísticas e oratórios, até obras raras, como "La Juive" e "O Corsário".
Fonte: UOL Educação


Os Três Tenores - Boas Festas
José Carreras, Plácido Domingo e Luciano Pavarotti


"GRANADA"
JOSÉ CARRERAS - LONDRES 1986

"GRANADA"

LUCIANO PAVAROTTI - PLÁCIDO DOMINGO - JOSÉ CARRERAS

SENTIMENTO

Não consegui conter as lágrimas,
Fluiram como doce melodia!...
Inundaram as três lindas almas
A alma  poética em harmonia!!!

POETA
   

1 comentário:

Anónimo disse...

CANTE LÍRICO E POESIA ENTRELAÇADOS!

Muito Obrigada POETA. MAGNÍFICO!!!

Não sei o que hei-de dizer
dos "TRÊS" e RESPECTIVA QUADRA;
LER E OUVIR foi um PRAZER!!!
Do Sentir...,nem digo nada!...

EXCELENTE POSTAGEM!!!

Uma Alandroalense (L...)