terça-feira, 9 de novembro de 2010

TOMAZ ALCAIDE

A propósito da publicação que fiz sobre o grande tenor Luciano Pavarotti, dia 12 de Outubro de 2010, recebi na caixa de comentários o texto que agora transcrevo.
Poet'anarquista 

Comentário de (L...)

GRANDE VOZ!!! Para mim, O MAIOR!!!
"O Sole Mio", belíssima escolha POETA! LINDO! LINDO!! LINDO!!!


Peço desculpa mas não posso deixar de recordar AQUI, UM GRANDE CANTOR
LÍRICO PORTUGUÊS, também Ele TENOR, T O M A Z  A L C A I D E!!!

Nasceu em Estremoz, mas os seus Pais eram naturais do Nosso ALANDROAL, tendo como primas em 1º grau, D. Judite Maria Alcaide Fernandes, D. Alice Fernandes, D. Inácia Fernandes e D. Mariana Fernandes, já todas falecidas.

TOMAZ ALCAIDE, actuou nos principais Palcos Líricos Internacionais da Europa e da América (Roma, Nápoles, Scala de Milão, Veneza, Paris, Viena, Zurique, Helsínquia, Boston, Chicago, Nova Iorque, Buenos Aires, Rio de Janeiro, etc..).

UMA GRANDE VOZ PORTUGUESA!!!

Muito obrigada POETA.


Uma Alandroalense (L...)


Resposta ao comentário de (L...)

No dia 9 de Novembro de 2010 faz 43 anos que nos deixou. 

Farei uma publicação nesse dia a lembrar o grande tenor que foi Tomaz Alcaide, muito bem recordado pela amiga Alandroalense.

E se me permitir farei uma referência ao comentário que enviou, salvaguardando a identidade.

O meu pai sempre me falou muito bem deste tenor da bonita cidade alentejana de Estremoz. Tem lá uma estátua em sua homenagem.

Cumprimentos...

Kabé

O que é prometido é devido, aí está a publicação recordando o grande tenor que foi Tomaz Alcaide, no dia em que faz precisamente 43 anos que nos deixou.
Poet'anarquista


Estátua de Tomaz Alcaide
(Estremoz, autoria Domingos Soares Branco)


Tomaz de Aquino Carmelo Alcaide foi um extraordinário cantor lírico português de renome internacional, nascido em Estremoz a 16 de Fevereiro de 1901 e falecido em Lisboa a 9 de Novembro de 1967. Nesta fotografia observa-se a sua estátua da autoria do escultor Domingos Soares Branco, inaugurada por Mário Alberto Nobre Lopes Soares como Presidente da República em 1987. Nesta obra escultórica aparece-nos representado com um traje Renascentista pela mão deste mestre da escultura portuguesa, num cânone de figuração clássica.

Nos seus primeiros passos de madura aprendizagem frequentou o curso de Medicina da Universidade de Coimbra, mas tendo descoberto a sua expressiva voz nas serenatas académicas decide, por influência do seu círculo de convívio, desistir destes estudos para seguir uma carreira musical. Entretanto, recebeu lições de importantes professores de canto e cedo começou a granjear um imenso prestígio ao interpretar o “Rigoletto” de Giuseppe Verdi, no Teatro Nacional de S. Carlos, em Lisboa, no início dos anos 20.

Tomaz Alcaide
Disco italiano de colectânea de músicas 

Em 1925 deslocou-se para Itália onde inicia uma fulgurante carreira lírica que lhe irá proporcionar actuar no Teatro Scala de Milão e brilhar sob as luzes da ribalta de outros palcos famosos do Teatro de Ópera. Foi, assim, que de 1925 a 1948 actuou nos principais palcos líricos internacionais da Europa e da América (Roma, Nápoles, Veneza, Paris, Viena, Zurique, Helsínquia, Boston, Chicago, Nova Iorque, Buenos Aires, Rio de Janeiro, etc). No transcorrer da 2ª guerra mundial foi impelido a actuar no Brasil e na Argentina.

Em Portugal irá cantar em programas da emissora nacional e ter uma aparição marcante no filme “Bocage” em 1936 numa realização do cineasta José Leitão de Barros. Em 1943 foi operado a uma hérnia do hiato que lhe diminuiu, substancialmente, a sua capacidade acústica. Esta razão explica, em parte, a sua ligeira inflexão profissional, pois nos anos de 1948 a 1961 irá dirigir a Escola de Canto do Teatro da Trindade e ainda exercer os cargos de mestre de canto e encenador da Companhia Portuguesa de Ópera. No fim da sua vida escreveu as suas memórias autobiográficas.

A cidade de Estremoz soube homenagear, condignamente este seu filho pródigo, ao colocar uma placa evocativa no Teatro Bernardim Ribeiro, ao atribuir o seu nome ao Orfeão, a uma Avenida, ao erigir a referida estátua em sua memória no centro da cidade e ao atribuir-lhe postumamente o título de cidadão honorário e a medalha de ouro do município. Em 2001, a culminar este longo tributo de homenagem, esta cidade Alentejana celebrou o 1º Centenário do seu Nascimento (1901-2001).
Fonte: Nuno Sotto Mayor Ferrão
"O Sole Mio"
TOMAZ ALCAIDE


Cara conterrânea:
Espero que tenha gostado da publicação.
Na parte que me toca, gostei muito das suas palavras quando refere, cito... "do Nosso Alandroal".
Saudações...
Cabé

1 comentário:

Anónimo disse...

Caro Conterrâneo/KABÉ:

Tenho a carteza que as Primas de
TOMAZ ALCAIDE, estejam Elas onde
estiverem...,ficaram agradecidas e
maravilhadas com a Magnífica Homenagem feita pelo POETA a este
Magistral Tenor PORTUGUÊS!!!

Quanto a mim, GRATA FICO por toda
a Consideração dispensada!!!
Cumprimentos amigos para Si e Toda
a Família.

"O prometido é devido",
executado com muito rigor;
Excelentemente cumprido,
Brilhante Postagem,um Primor!!!

Uma Alandroalense (L...)