segunda-feira, 15 de novembro de 2010

POESIA - MATIAS JOSÉ

Mar de Odeceixe - Janela Aberta para o Mar
Foto: Carlos Camões Galhardas

JANELA ABERTA PARA O MAR

Entrei… mas não sorriste,
Da tua janela para o mar...
Sorrindo ao som das gaivotas
Que não paravam de voar!
Porque estavas triste?...
Já de mim não gostas??
Por fim esse olhar
Tão terno quando me viste!!
Afinal sempre te importas...
O que estavas a pensar???
Finalmente a alma abriste!!!

Matias José
  

4 comentários:

Ana Paula Fitas disse...

Que boa e bonita evocação do mar e de Odeceixe... que boa a poesia quando, no correr dos dias, mal damos pelo sol que ainda espreita entre o frio!

Camões disse...

Querida amiga

Encaminho-te para a publicação que fiz no dia 17 de Abril de 2010, com o título "Arte Natural com Poesia".... vai lá dar uma espreitada ao nosso mar de Odeceixe e à poesia que dedico às suas gentes.

Agradeço as palavras reconfortantes que escreveste no teu comentário!

Um beijinho,

Cabé

Obs- Depois diz-me o que pensas da "Arte Natural com Poesia"

Anónimo disse...

Fotografia e poesia complementam-se. Muita sensibilidade!

Anónimo disse...

O mar no enleio do amor... vagando
na alma do POETA, numa dança de
palavras.

Muito obrigada MATIAS JOSÉ.

Uma Alandroalense (L...)