sábado, 27 de novembro de 2010

OUTROS TEMPOS...

Diário de Notícias de 27-11-1994
Sob proposta da Secretaria de Estado do Turismo (SET), o governo português inicia um investimento de cerca de 700 000 contos num itenerário turístico e cultural nas área da arqueologia, implicando a valorização de 13 locais de interesse histórico no Alentejo. Abrange monumentos megalíticos da era romana e islâmica, nomeadamente Miróbriga (Santiago do Cacém), São Cucufate (Vidigueira), Anta Grande (Zambujeiro) e Cromeleque dos Almendres (Évora).
Fonte: O Leme 
MIRÓBRIGA- Santigo do Cacém
Ruínas de Cidade Romana

Ruínas Romanas de Miróbriga


As ruínas romanas de Miróbriga foram referenciadas desde o século XVI e encontram-se implantadas numa zona privilegiada, profícua em recursos agrícolas, marítimos e mineiros, pelo que este sítio arqueológico terá desempenhado um papel comercial de relativo destaque. Miróbriga foi habitada desde, pelo menos, a Idade do Ferro até ao século IV d. C.. 

Embora as estruturas habitacionais ainda permaneçam reduzidamente estudadas, sabe-se que se desenvolveram ao longo de calçadas e possuíam decorações com frescos. Circundando o forum desenvolve-se toda uma zona constituída por diversas construções como a cúria, a basílica e umas Termas. Dispõe de um Centro de Acolhimento e Interpretação.
Fonte: Guia da Cidade- Setúbal
SÃO CUCUFATE- Vidigueira
Ruínas de Vila Romana


Ruínas de São Cucufate


As ruínas romanas de Cucufate estão datadas do século I d. C., consideradas como um centro de exploração agrícola, que foi crescendo até ao século IV, onde poderá ter sido a residência do proprietário, com estruturas para transformação e armazenamento dos produtos agrícolas.


Após o declínio do Império Romano, este local continuou a ser habitado, até aos finais do século XVIII, como parece ter sido antes da ocupação romana, a julgar pelos vestígios encontrados durante as escavações arqueológicas, num continuo aproveitamento da riqueza destes solos e da abundância de água.


Mais recentemente instalou-se nas imediações das ruínas, a horta de S. Cucufate, que se pretende continue a dar vida a este local, a par dos atractivos culturais que esta estação arqueológica proporciona.
Fonte: Geocaching
ANTA GRANDE DO ZAMBUJEIRO- Valverde
Monumento Megalítico

Anta Grande do Zambujeiro 


A Anta Grande do Zambujeiro situa-se a cerca de 500 metros de Valverde, no bonito concelho de Évora, na imensa região Alentejana.
Este monumento megalítico classificado como Monumento Nacional constitui uma das maiores Antas da Europa, sendo mesmo a maior que se tem conhecimento em toda a Península Ibérica.

Esta é uma região ocupada pelo homem desde remotos períodos, existindo mesmo na zona diversos legados megalíticos de grande importância.

A Anta Grande do Zambujeiro foi descoberta em 1965, tendo-se mais tarde procedido ao seu estudo e investigação.
Seria utilizada pelas comunidades do Período Neolítico como local de enterramento e homenagem aos seus mortos, servindo provavelmente também de Santuário.

O conjunto tem 50 metros de diâmetro, compreendendo a câmara poligonal com 6 metros de altura e um corredor com cerca de 12 metros de comprimento e 2 metros de altura e 1,5 metros de largura, de acesso para o exterior.
O monumento encontrava-se coberto por uma gigantesca Mamoa com mais de 50 metros de diâmetro, tendo a escavação recuperado um importante espólio de objectos rituais, de adorno, vasos de cerâmica, lâminas e pontas de seta, entre muitos outros. 

Fonte: Guia da Cidade- Évora
CROMELEQUE DOS ALMENDRES- Évora
Recinto Megalítico

Cromeleque dos Almendres


O recinto megalítico dos Almendres, um dos maiores monumentos públicos da humanidade, constitui o maior conjunto de menires estruturados da Península Ibérica e é um dos mais importantes da Europa. Este monumento megalítico inicialmente era constituído por mais de uma centena de monólitos. 

A sua escavação permitiu a detecção de várias fases construtivas ao longo do período Neolítico (V e IV milénios a. C.), até alcançar aspecto semelhante ao hoje apresentado. São 92 menires com diferentes formas e dimensões, desde pequenos blocos rudemente afeiçoados, outros maiores que deram ao local o nome de Alto das Pedras Talhas. Formaram dois recintos erguidos em épocas distintas, geminados e orientados segundo as direcções equinociais. Uma dezena de monólitos está decorada exibindo relevos ou gravuras. Foi um monumento com funções religiosas e, provavelmente um primitivo observatório astronómico. O monumento está situado na Herdade dos Almendres, Évora
Fonte: Guia da Cidade- Évora

2 comentários:

Anónimo disse...

Excelente Postagem!

Muito obrigada por toda esta informação.

Uma Alandroalense (L...)

prrsoares disse...

Parabéns por teus trabalhos e por tua arte. prrsoaresamigodedeus.blogspot.com ( Mato grosso - Brasil)